Loading...

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Crônica da limpeza de gaveta (fatos verídicos)

Acabei de escrever essa crônica agora.

Mas eu quero dizer que o que falo aqui, são fatos reais.

Omiti nomes por questão de respeito e ética.

Mas hoje, esvaziei umas gavetas... no sentido real e psicológico também!




Sabe quando você abre uma gaveta antiga, que faz muito tempo que não abria?

E nessa gaveta você acha um monte, mas um montão de fotos antigas?

Aí você acha fotos de pessoas que ainda são importantes (parentes, amigos, etc) e dá até uma nostalgia gostosa, a gente revive emoções, fatos e acontecimentos.

Aí, você guarda com carinho essas fotos, pensa em escanear e mandar para as pessoas envolvidas.

Mas também tem o outro lado da moeda.

Encontrei umas fotos ( e olha que era um acervo grande)  que ninguém mais têm. Sim, achei um material que NINGUÉM mais tem.

Aí olhei para as fotos e me senti triste!

Não porque não estava mais envolvido com aquelas pessoas, definitivamente não!

Como eram fotos que marcavam a trajetória de pessoas, deveria me trazer felicidade, alegria, prazer!

O que eu vivi com elas foi legal e não me arrependo, mas quase que 99% das pessoas ali nas fotos não tenho mais contato.

E não é só a questão do contato (porque isso é normal, cada um tocar a vida para um determinado lado, correr atrás dos seus sonhos e objetivos), não é isso não!

É perceber que aquelas pessoas te usavam, abusavam de você!

E diziam até que eram seus amigos!

Mas em determinado momento, não tinham escrúpulos nenhum em te passar uma bela rasteira, te passar para trás, te jogar no buraco....qualquer coisa que o valha, para que a pessoa se desse bem!

Ou seja, no frigir dos ovos, cada um cuida de si!

Demorei para perceber isso!

Essa é a parte triste que via nas fotos!

Claro que vi coisas alegres nas fotos!

Mas percebi que as coisas alegres e importantes ficam mesmo é no coração!

Vi que não precisava daquelas fotos! Não mais!

Uma voz pequena dentro de mim questionou-me se eu deveria então enviar estas importantes e únicas fotos às pessoas envolvidas, ou pelo menos escanear as fotos e postar num facebook ou orkut da vida que elas copiariam em segredo (pois elas estão por aí na internet).

Meu coração avaliou essa proposta, pesou direitinho e julgou que as pessoas envolvidas não mereciam esse carinho, esse respeito, essa nobreza da minha parte!

Então como num ritual de magia branca, descarrego ou coissa que o valha, fui rasgando, destruindo foto por foto...picando bem picadinho!

Com gosto!

Com tesão!

Com um prazer inominável!

Não desejando mal a ninguém daquelas fotos, de forma alguma!

Mas desejando, sentindo que daquela forma, estava me desconectando de vez do passado, soltando de vez essas pessoas da minha vida ( e eu me libertando delas!).

Como que fazendo uma mandinga, um vudu, paraa que nunca mais essas pessoas se aaproximassem de mim!

Claro que agradeço a Deus por tudo de bom e ruim que passou!

O que passou e foi bom, deu prazer e boas lembranças!

O que passou e foi ruim, deu dor, mas amadureci!

Que essas pessoas sejam felizes!

Mas longe de mim! (eu pensava a cada foto que rasgava!)

Era estranho!

Confesso que era estranho!

Eu realmente não estava sentindo raiva, ódio! Nenhum tipo de nervoso!

Só paz! Calma, serenidade!

Alegria!

Prazer!!!

Muito prazer! Quase que sexual!!!

Liberdade!!

É isso!!

Estava me libertando naquele ato!

Naquele ato simbólico de rasgar fotos, estava rasgando, acabando com uma parte do passado que me desagradava.

E minha alma ficou leve, serena!

Feliz!!!

Como estou feliz!

A gente deve sempre fazer essas faxinas na vida da gente de vez em quando.

Na carteira, na gaveta, no armário, no guarda-roupa...NA VIDA!

Devemos ver o que serve e o que não serve mais e deixarmos ir embora!

Afinal de contas, só vamos abrir espaço na nossa vida para algo novo...

se deixarmos ir embora o que é velho e não nos serve e não funciona mais!

E é bom adotar esse tipo de atitude:

" Não trate como prioridade quem te trata como opção!"


Mauricio Franchi

Um comentário:

  1. Franchie M., lendo esse texto, não resisti e resolvi te escrever. Eu consegui perceber a mensagem e a sensação que vc teve ao fazer isso. Eu fiz, certa vez, uma limpeza como essa, tipo rasgar todas as fotos, jogar no lixo todas as lembranças materiais, mas tenho que confessar que o resultado obtido não foi como o seu. Talvez porque eu tenha feito num momento de desespero e não de completa consciência do ato em si, tanto que ao me desfazer das coisas materiais que me prendiam a outra pessoa, eu fiquei com um fantasma me atormentando. Tive muitos momentos que me distraiam e fizeram com que eu andasse pra frente, mas sempre olhando pra trás... vc entende? Consegui tirar essa pessoa da minha vida mas nunca consegui tirar das minhas lembranças. Preciso perdoá-lo e preciso ainda mais me perdoar. Não pense que eu desisti. Ainda tenho muito o que amadurecer nesse quesito e vou chegar lá! Beijos...Sammy Austin

    ResponderExcluir