Loading...

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Elogio x Crítica

O tema que vou abordar não é novo.
Ao contrário!  
Mas por ser recorrente em nossas vidas, por ser extremamente complexo e envolver nossa própria educação, temos que encará-lo seriamente, com muita coragem e desapego até!
Quero falar na importância do elogio e o reconhecimento.


E em contrapartida, o quão danoso é a crítica e o desprezo.


Hoje chegamos a um patamar de consciência humana que nos permite avaliar psicologicamente e filosoficamente a importância desses aspectos em nossa vida, em nossa criação, em detrimento ao que nossos pais nos ofereceram!
A questão é que a crítica e o desprezo são extremamente daninhos, mesmo que eles (os pais) ainda achem que criticando um filho ou filha, eles se encham de vontade como um herói ou heroína, e “mostrem” a eles que são dignos de merecerem seu reconhecimento, seus elogios, enfim, seu amor!
Atitudes extremamente cobradoras como essa não incentivam as pessoa a serem vencedoras, ao contrário, as ensinam a serem medrosas, inseguras, incapazes, e portanto uma perdedora!
Na maioria dos casos!
Pode até haver pessoas que suportaram a demasiada pressão, a crítica excessiva, o rancor e sobreviveram, se adaptaram a isso!
Veja, "sobreviveram" a isso!
Não quer dizer que se formaram adultos equilibrados, serenos, sem problemas emocionais decorrentes dessa criação extremamente rigorosa.
E pergunto: e a grande maioria que não suportava tal pressão psicológica? Tanta crítica? Tanta repressão?




Durante décadas pais repressores (achando que aquilo é sadio!) trataram seus filhos assim.
Sem entenderem qual é o limite deles, sem saber reconhecer o esforço momentâneo, sem dar uma palavra de carinho, conforto e incentivo!
Palavras duras e críticas severas não fazem com que as pessoas sejam grandes, ao contrário, as diminui na maioria das vezes.
E não raramente estes filhos de pais extremamente rigorosos nascem com problemas emocionais, tendo que procurar um psicólogo, um terapeuta, dependendo até um psiquiatra (pois tanta crítica e repressão pode levar à depressão profunda, pânicos, fobias inespecíficas, etc), para se libertarem daquela voz que ecoa na nossa cabeça: " Não fez mais que a obrigação!" o que gera ainda outra frase no nosso coração “Não sou digno de amor e aceitação por eles! Não sou bom o suficiente!”


É cientificamente provado (e funciona até com animais) que o elogio motiva e impulsiona mais do que a crítica! 
E a crítica especificamente de nossos pais fica tão incrustada na nossa mente, que nós mesmos passamos a nos cobrar dessa forma...
E isso definitivamente, é triste!
Triste, pois como dizem, a boca fala do que o coração está transbordando!

Quanto mais criticamos menos amamos.
- Honoré de Balzac -
Uma pessoa que só vê falhas no mundo e só faz críticas, que não sabe ver a beleza nas menores coisas e nos detalhes, que não sabe coroar o esforço, que não sabe ver e sentir o melhor de cada um, que só vê um mundo perigoso e malvado, onde se não for "o perfeito", esmorece, tem problemas graves!
A psicologia sinaliza também que a crítica (assim como um espelho) nada mais é a pessoa não aceitar aspectos e "qualidades" dela mesma (e que ela rejeita absurdamente!) então as aponta no outro, e as combate (quando na verdade, inconscientemente, ela está combatendo a si própria!).
Quem só vê a maldade, é porque tem maldade demais dentro de si! Pense nisso!

Quando vires um homem bom, tenta imitá-lo; quando vires um homem mau, examina-te a ti mesmo.
- Confúcio -

Esses  pais ao meu ver esquecem e desprezam a criação de Deus, ou da própria Natureza se assim preferir, pois fomos feitos assim e com algum propósito, principalmente o de evolução. 
Ou seja, não somos perfeitos e não existe perfeição em termos humanos. 
Então porque ficar exigindo uma coisa absurda e impossível?!?
E a crítica não deixa de ser um choque!

As crianças têm mais necessidade de modelos do que de críticas.
- Joseph Joubert - 

Então, estamos aqui para viver, aprender, evoluir e quem nos cobra perfeição, ao meu ver é insano! 
Pois a perfeição não existe!
E nós estamos nos sujeitando cada vez mais e mais (muitas vezes sem perceber isso) às exigências (para não termos críticas), deixando de sermos nós mesmos e espontâneos!
Quando os pais se posicionam assim, cobrando perfeição e criticando ao extremo os filhos tornam-se medrosos, cobradores consigo mesmo, incapazes de se perdoar (e de se amar...pois não há auto estima que subsista a uma situação onde ficam incessantemente dizendo que não somos bons o suficiente!), e receosos de agir e errar!
O medo de errar é o legado de quem tem pais extremamente rigorosos!
E medo de errar, é medo de viver!


O reconhecimento, o elogio são fundamentais para a vida de "todos nós".
O reconhecimento e o elogio acredito que são atos carrregados de amor!
Ou são facetas do próprio amor!
Ou modalidades de amor!
Modalidade, faceta, aspecto, divisão, tipo, subdivisão, não importa o nome ou a qualificação que der ao reconhecimento e ao elogio, mas definitivamente fazem parte de um conjunto universo chamado amor.
Da mesma forma inversa que crítica e desdém fazem parte de um conjunto universo chamado ódio! 


Só tem o direito de criticar aquele que pretende ajudar.
- Abraham Lincoln - 
Assim como a semente, a planta, a flor, necessitam de água, ar, luz, calor, e nutrientres para crescerem e se desenvolverem, um dos aspectos que necessitamos muito para nosso crescimento são os elogios e o reconhecimento.
Não basta receber amor!
Temos que sentir esse amor... e o elogio e o recohecimento é uma forma disso!
O elogio e o reconhecimento nos motiva, nos propulsiona a crescer, a continuar... na linguagem atual e moderna corporativa, nos induz a “melhoria contínua”, o reconhecimento nos faz sentir vivos de verdade!


Sempre que uma pessoa pede o nosso conselho, geralmente procura o nosso elogio.
- Philip Chesterfield - 
O elogio é uma forma também de sermos gratos, é uma forma de gratidão!
E ao contrário, a crítica nos joga para baixo, nos abate, nos desmotiva, nos desmonta!
A verdade é que odiamos a crítica!
Via de regra pouquíssmas pessoas lidam bem com a crítica. 
Pouquíssimas sabem fazer uma crítica adequada, serena, pertinente, no momento adequado, com as palavras certas, no tom de voz correto, sem ódio, raiva... e fazer a verdadeira “crítica construtiva”.
Pouca gente sabe fazer isso!

Crítica construtiva é como mulher meio-grávida... não existe.
- Marcio Kuhne -
Na verdade me ocorre que a única crítica que suportamos é aquela que “pedimos” a alguém de nossa confiança, como sugestão!
E como pedimos, “a priori” estamos precisando daquela “crítica”, daquela análise, daquele parâmetro. 
Como pedimos, nós lidamos melhor! Bem melhor!
Mas receber crítica de graça, sem pedir, realmente é difícil de aceitar por qualquer um! (analisando profundamente temos aqui também questões de ego, orgulho, mas aí já é tema para outra exposição!)
Deve existir um nível de amizade e equilíbrio grande para recebermos uma críticas de inopino.
A realidade é que pouca gente sabe criticar sem ser na frente dos outros, sem humilhar, sem diminuir, sem desmerecer...(essa crítica pode ser mascarada por humor ácido, apelidos desmerecedores, etc, piadas de mal gosto também!).
Talvez Mahatma Gandhi tenha desvendado algo por traz de alguns tipos de crítica:


 “ O que mais me impressiona nos fracos é que eles precisam humilhar os outros para se sentirem fortes!”


E mais, a crítica vinda de quem amamos, dóis mais ainda!
E da mãe e do pai então? É a morte!!!
É como se estivéssemos sendo reprovados na vida!
Como se estivéssemos recebendo um atestado de reprovação da vida inteira!
Acham ainda que uma pessoa que cresceu sob a égide de críticas desde criança, será uma pessoa de sucesso??


PENSEM NISSO


Chegamos numa encruzilhada interessante.
O que mais precisamos e queremos é elogios e reconhecimento (como parte de amor) e recebemos críticas e desprezo (como raiva e ódios).
Algo aí não está errado???



"Amor é convite; não coação. É persistência; não insistência. É elogio; não humilhação. É escolha, não encolha. É lucidez; não ilusão."
- Luiselza Pinto -
Pois isso começa no nosso lar...em casa.
A crítica começa muitas vezes no nosso lar!
Então o que devemos fazer?
Aprender a conviver com as críticas?
Ou parar com elas?
Pois o que mais vemos por aí são críticos: de futebol, de política, de moda, de esportes, de religião, de comportamento, etc.
Será que não temos que repensar isso?
Que odiamos a crítica?

Que a grande maioria das pessoas estão procurando psicólogos, terapeutas diversos, psicanalistas, psiquiatras...tudo porque não suportam críticas...e em algum momento das suas vidas, as críticas fizeram muito mal?
O que proponho então com toda essa narrativa?

"Faça o que seu coração acha certo. De qualquer forma você será criticado."
- Eleanor Roosevelt -
Que possamos perceber a importância do reconhecimento e do elogio como sentimentos positivos, como demonstração de amor e carinho, de gratidão e que a partir de agora, possamos praticar isso!
Na nossa família, com nossos amigos!
No nosso serviço!
Onde podemos de repente com elogios construtivos extrair mais motivação das pessoas.



Iluminemos a vida com um elogio, um louvor ou uma admiração!
- Edith Vaz de Araujo -
Conheço um caso verídico de uma amiga professora e hoje Diretora de Escola, que conseguiu através do elogio e do reconhecimento não só mudar a vida escolar de um aluno, mas mudar “toda” a vida dele.
Era um garoto com problemas de família e sociais variados e que não se dava bem em nenhuma classe por onde passava.
A professora identificando a auto estima baixa entre outras coisas  começou a investir nele em coisas pequenas.
Pedindo que ele a ajudasse a apagar a lousa, a carregar material, a distribuir material para a classe...praticamente o elegeu “um ajudante”!
Ele começou a se sentir valorizado como pessoa humana e começou a se motivar e se revelou um excelente aluno, passando então a tirar ótimas notas.
Ele só precisava que alguém acreditasse nele, desse algum valor a ele, percebem? 
Esse garoto que poderia ter partido para as drogas, criminalidade, mas mudou o rumo da vida dele, por causa de uma atitude aparentemente simples, de uma pessoa que lhe deu atenção, carinho, que o ouviu! 
Que o valorizou! Que acreditou nele! 
Percebem?
Que podemos mudar isso?!?!
Que passemos a ser pessoas mais agradáveis e menos ácidas, menos críticas (inclusive conosco!).
Que nós também nos livremos, cortemos o cordão umbilical de uma criação errônea ( quem a teve!) entendendo que nossos pais fizeram o melhor que podiam, assim nós saímos de uma posição de vítima da crítica excessiva e nos libertamos dela!
Que nós saibamos reforçar nossa auto-estima, nos amando, acreditando em nós mesmos, para que críticas inoportunas não nos abatam, não nos abalem!



Se você permitir uma crítica o destruirá. Mas, se você se proteger, um milhão de ofensas não o afetarão (...) Proteja sua emoção.
- Augusto Cury - 
Que nós possamos aprender que na verdade o maior reconhecimento e amor que necessitamos é o de nós mesmos para nós! 
Aí sim nossa auto-estima estará equilibrada e as críticas inoportunas não farão mais esse efeito devastador em nós mesmos!
Não devemos dar valor, força para a crítica que vem a nós de forma errônea, inoportuna e sem pedirmos! 
E vamos fazer elogios!
Vamos ser gratos!
Vamos reconhecer!
Afinal de contas, devemos fazer aos outros o que queremos que façam por nós!
Gentileza gera gentileza!
Tudo é um fluxo de energia!
Tendo essa atitude positiva, seja na sua família, seja no trabalho, seja na escola, as pessoas que convivem com você igualmente irão retribuir o mesmo sentimento, a mesma energia!
Assim é o relacionamento humano!
Então, se a crítica é algo ruim, vamos mudar isso!
Que tal?
Depende de nós!




Mauricio Franchi 

Obrigado pelas conversas,
pela atenção,
pelos conselhos “infalíveis”,
pelo elogio que só vem de quem ama e,
principalmente,
por te importares comigo.

- Augusto Branco -

3 comentários:

  1. Adorei Mauricio, parabéns, sábias palavras.
    Emília

    ResponderExcluir
  2. Foi minha leitura matinal... Incrível!!! Assino embaixo!!! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  3. Como vc mencionou, " Se a crítica é algo ruim, vamos mudar isso!" -
    Penso que depende de cada um. Apesar daquela velha frase:
    "A crítica destrói, o elogio constrói", vale a pena lembrar que, em alguns casos, a crítica serve para mudarmos de opinião e muitas vezes nos erguermos das cinzas, com o propósito de darmos a volta por cima.
    Bom Mauricio, como sempre um texto maravilhoso e rico em detalhes. Beijos. Val

    ResponderExcluir