Loading...

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Boas Festas! Feliz Natal, Feliz Ano Novo!



Como não poderia deixar de ser, mais uma vez venho aqui registrar a minha Mensagem de Final de Ano!
Mensagem que dedico, ofereço de coração a todos os amigos (virtuais e físicos), e a todos que de alguma forma me acompanham no meu Blog.
Minha mensagem não tem cunho religioso, de forma alguma!
Ainda mais porque não tenho religião oficial!
Não sou Ateu, mas não tenho religião!
O que absolutamente não impede de expressar e viver uma espiritualidade.
Então, como disse, não venho aqui desejar Feliz natal e Feliz Ano Novo, pelo "significado" dessa data. Principalmente o significado religioso da data.
Afinal, cada um tem sua fé (ou não!) tem o Deus do seu coração, o Deus da sua compreensão!
Então que minha mensagem seja comum a todas as religiões!




Pois então, independente do aspecto religioso inerente das "Festas de Fim de Ano", que seja a oportunidade de estar reunido com amigos especiais, com familiares.
Esse momento também é de reflexão...pois afinal de contas é um ano que se encerra, então todos acabam refletindo sobre o que passou, e sobre o que desejam na nova fase que se inicia!
Então como mensagem, para essa reflexão, posto aqui uma parte do discurso de Nelson Mandela. na sua posse:



"Nosso maior medo não é sermos inadequados.
Nosso maior medo é não saber que somos poderosos, além do que podemos imaginar.
É a nossa "Luz", não nossa escuridão que mais nos assusta!
Nós nos perguntamos: "Quem sou eu, para ser brilhante, lindo, talentoso, fabuloso?
Na verdade, quem é você para não ser? Você é um filho de Deus!
Você, pensando pequeno, não ajuda o mundo!
Não há nenhuma bondade em você se diminuir, recuar para que os outros não se sintam inseguros ao seu redor.
Todos nós fomos feitos para brilhar, como as crianças brilham! Nós nascemos para manifestar a glória de Deus dentro de nós! Isso não ocorre somente em algum de nós, mas em todos!
Enquanto permitirmos que nossa luz brilhe, nós inconscientemente, damos permissão a outros para fazerem o mesmo!
Quando nós nos libertamos do nosso próprio medo, nossa presença automaticamente libertará a dos outros!
- Nelson Mandela - 





Se eu pudesse deixar algum presente à você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida dos seres humanos. A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo a fora. Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem. A capacidade de escolher novos rumos. Deixaria para você, se pudesse, o respeito aquilo que é indispensável. Além do pão, o trabalho. Além do trabalho, a ação. E, quando tudo mais faltasse, um segredo: o de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída
Mahatma Gandhi

E dentro dessas reflexões, quero desejar a todos vocês de coração muita saúde (física, mental, emocional e espiritual)



Muita esperança em momentos ainda melhores, de vitórias, de alegria, saúde e prosperidade!



Muito amor em todas as formas, intensidades, modalidades...




Muita Paz...que seja efetivamente uma "Paz Profunda!"




Que não perca sua fé! Fé na vida, fé no processo Cósmico, fé no Deus do seu coração, no Deus da sua compreensão! Fé em você mesmo! 
Que de alguma forma, você tenha algum tipo de fé!



Desejo a todos, portanto, um Feliz Natal e um Ano Novo maravilhoso!

 - Mauricio Franchi -


Aqui deixo uma linda canção de Natal da banda The Monkees!



quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Uma Crônica de Amor (Só se ama uma vez na vida?)


Acho realmente interessante como as pessoas adotam certas frases, fatos, contextos como verdades, sem questionar se aquilo vale para ela.
E as tornam verdades eternas! 
Inexoráveis! 
Irrefutáveis!
Talvez até seja para ela, até aí, tudo bem!
Talvez uma verdade funcione para muita gente!
Agora afirmar que algo "é assim" e pronto! Que funciona para todo mundo? 
Que não muda nunca... aí é complexo demais!
Pois certas pessoas podem ter experiências, vivências totalmente diferentes entre si.
Por exemplo, existe uma máxima por aí que se fala muito:
"- SÓ SE AMA UMA VEZ NA VIDA!"


Será que só se ama uma vez na vida?
Acho essa afirmação um absurdo, um "non sense" total.
Pode servir para alguém, com certeza!
Mas afirmar que serve para todos, é pretensioso!
Por exemplo, eu me lembro que me apaixonei na mais tenra idade!
E não me venha falar que não era amor!
Era um amor violento sim! 
Intenso e profundo!
Claro, que devido à minha tenra idade, era um amor inocente!
Até hoje não me esqueço desse amor. 
Seja por nostalgia daqueles momentos "puros e inocentes". 
Seja pelo que me fazia feliz àquela época!
Não, não esqueço nunca na verdade desse primeiro amor!
Amei muito! 
Desesperadamente! 
Chorei! Ri! Me emocionei!
Aí, em determinado momento, outra entrou na minha vida!
E praticamente não só substituiu a anterior, como tomou posse de mim!
Como eu era um pouco mais maduro que na vez anterior, estava aberto e preparado a ter um amor mais desenvolvido do que aquele primeiro!
E durante muitos anos, quem me conheceu, sabia desse meu amor intenso!
Pois eu falava nela pelos quatro cantos do mundo!
Fazia questão de dizer o quanto a amava, o quanto ela me fazia bem.
Todo dia com ela! O tempo todo!
Ah... como a amei!
E praticamente, esqueci o primeiro amor!
Confesso que de vez em quando até lembrava...com carinho, nostalgia...mas o amor que tomara meu coração de assalto não deixava quase espaço para outras.
Só por esse depoimento, provo que se pode amar mais de uma vez, sim!
E também acredito que possa se amar duas, três ou mais ao mesmo tempo!
De formas diferentes e intensidades diferentes.
Mas sim pode se amar mais vezes!
E ao mesmo tempo também!
Sim senhor! Sim senhora!
Esse amor que eu me referi até agora, eu imaginava que seria para sempre, tamanha a dimensão que ela tomou em minha vida!
Mas quando menos esperava, conheci outra que abalou minhas estruturas.
Pois tudo que eu conhecia de amor foi posto à prova!
Esse amor me desafiava, me encantava...mexia definitivamente comigo!
Muita gente que me conhecia, que me conheceu falavam que meu amor era lindo, para sempre!
Mas conheci outra... e agora? 
Essa nova me provocou algo tão intenso e repentino, a tal ponto de por em "xeque" meu amor pela anterior!
E se não bastasse, através dessa, conheci outra ainda... e me apaixonei perdidamente pelas duas, ao mesmo tempo!
Eu que nunca imaginaria que aquele amor poderoso que eu tinha pudesse acabar, acabei me apaixonando praticamente por duas outras.
Como disse, acredito que se pode amar mais de uma vez!
Com intensidade, profundidade, comprometimento!
Pois eu amei!
Aqui contei quatro amores da minha vida!
Quatro amores que me representam, que me marcaram.
Para todo mundo que me conhece, uma hora ou outra, conto sobre amores que vivi desde minha infância!
Primeiro me apaixonei pela banda The Monkees, na mais tenra infância.


Depois me apaixonei pelo Queen, que superou meu amor pelos Monkees... um amor que durou por muitos anos!


Aí conheci a banda Savatage! Paixão à primeira audição!


E por causa do Savatage, conheci a banda Circle II Circle.


Que no mínimo, no pior das hipóteses, empatam com meu amor pelo Queen.
Empata com uma tendência enorme de ganhar! 
De ser um amor maior!
Vocês estavam achando que eu estava falando de relacionamento homem-mulher???
Hahahahahahahahahahaha...te peguei!
Não, estava falando de bandas!
De meu amor por música e por essas bandas específicas!
Com certeza um enorme caso de amor!
Ah, mas eu acredito também que se possa amar mais de uma vez, no tocante a relacionamento humano! 
Como na música!
Podemos amar mais vezes, e podemos enjoar também!
Como na música!
Entendo que em relação a amar, não devemos confundir princípios morais, religiosos com a capacidade do ser humano de amar!
Há religiões que permitem a bigamia, a poligamia, etc.
E que casar, amar mais de uma pessoa não é punido e nem reprovável.
Com certeza, pode ser um princípio seu e você acredite que não possa amar mais de uma vez! E muito menos ao mesmo tempo!
Mas entendo que não devemos julgar!
E você?
O que acha? Só se ama uma vez? Será?
Ou amor eterno é só tema de poetas?

- Mauricio Franchi - 





quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Ser fã... essa loucura!

A minha vida inteira sempre estive ligado à música de uma certa forma!
E quem me conhece, sabe que a maioria das músicas que gosto, são no gênero ou categoria “Rock”.


Pode ser Rock´n Roll, anos 60, 70, 80, etc., pode ser Hard Rock, Heavy Metal (clássico, melódico, sinfônico, trash, etc.), pode ser Rock Pop, Rock Nacional... mas SEMPRE ROCK!

Adoro música Clássica, Ópera, New Age, Jazz, Blues, Country Americano, R&B, Blues, Motown, Trilhas Sonoras, etc.
Mas Rock... é o prato principal!

E desde cedo tive contato com esse negócio de ser fã!
De ser fanático por uma banda (durante muito tempo da minha vida fui fã da banda Queen).


Fã no sentido de ir a shows, de ouvir o tempo todo, de comprar tudo que se pode e consegue da banda!
Fã no sentido de ter o quarto cheio de pôsteres da sua banda predileta, de ter muitas camisas da banda!
De entrar em grupos (semelhantes a fã-clube) de trocar ideias sobre a banda!


Um dos aspectos de ser "fã" é procurar conhecer tudo que se refere à banda: a discografia, os lançamentos, as turnês, o palco, o set-list, as roupas... o nome e biografia de cada integrante da banda!

E mais um monte de loucuras que só quem é fã de algo sabe(seja banda, ator, cantor, etc., etc.)... quem NUNCA foi fã de algo, não entenderá nunca o que estou falando!

Não conseguirá conceber o ser fã de uma banda, de músicas dessa banda... não pode entender o que é ouvir essa banda, ver ao vivo, entrar em contato com seus ídolos!
Quem pelo menos NUNCA colecionou algo, não vai entender isso!
Esse universo complexo que é ser fã.
Mas estou falando FÃ DE VERDADE!!
FANÁTICO!! APAIXONADO!!


Quem nunca foi fã de algo, definitivamente não sabe!
Loucura? Excesso? Mania? Freud explica?
Como disse, quem é ou foi fã de algo, sabe! 
Entende! Na alma e no coração!
Sim, pois ser fã é se envolver de alma e coração!
Seja até por um time de futebol, pelo que seja!


Ser fã é ter em seu coração uma das maiores demonstrações de amor e paixão!
E fã tem suas peculiaridades.
Por exemplo: A maioria dos fãs não aceita o questionamento do seu objeto de paixão, principalmente por quem não ama aquilo! De forma alguma!
Discutir, somente entre os que são fãs...e olhe lá!!
Outra coisa engraçada de ser fã: todo fã de algo, que é muito fã mesmo, tem raiva de quem diz ser fã, mas na visão dele, não é.

A pessoa até gosta da banda, acha legal... mas se ela não conhece muito da banda, de preferência todas (ou pelo menos as mais conhecidas), se ela não tem todos os discos da banda...ah...não é considerado fã!
É modinha, mas não é fã de verdade!

E entre eles (até inconscientemente) promovem uma enquete, um questionário para saber quanto àquele fã sabe da banda (e isso na lógica da cabeça de um “fã-nático”, é saber, sentir o quanto a pessoa é fã mesmo daquela banda, artista, etc.).
Reage muitas vezes assim: “Como você não conhece aquela música? Daquele disco? E no “Lado B” a música é...” ou “Como não tem aquele item??? (Disco, cd, livro, pôster, etc.)”, ou “você não vai naquele show da banda????”.
Sim, coisas assim acontecem entre grupos de fãs!

Há grupos de fãs que é “terminantemente” proibido fazer uma crítica negativa a algo que se refira à banda, há outros que são mais maleáveis!
Há fãs, que brigam (infelizmente acontece isso em jogos de futebol, entre torcidas contrárias, também acontecem entre certos grupos radicais como aconteceu com os “Carecas do ABC”, Punks, etc.)... e isso é deplorável!


Fato que se existe uma galera difícil de agradar, são exatamente os ditos fãs!Verdade!
Uns reclamam que tal banda nunca muda! 
Aí a banda muda o estilo e uma ala radical não gosta! 
Chama a banda de traidores do movimento, de vendidos!
Ou seja, uns gostam porque muda, outros gostam porque não muda... impossível mesmo agradar todos os fãs! 
Não dá mesmo!

E também, lógico, há o preconceito inverso das pessoas que não são fãs de nada! 
Nunca curtiram uma banda específica, um ator específico, nunca colecionaram nada. 
Aqueles do tipo: “tá tudo bom para mim, o que tocar eu curto!”. 
E acham muito estranho uma pessoa ser fã, fanática por algo!
Assim como os fãs de algo, acham estranho demais não ser fanático por algo ou alguém!

Eu hoje comecei a pensar, refletir sobre “ser fã”, justamente porque eu vi uma reportagem no canal de TV Record News, e me provocou esse estranhamento! 
E vi que me comportei mesmo como fã! 
Não tão radical a ponto de mudar de canal, de xingar a matéria, de me aborrecer!
Mas me fez pensar assim: “Como assim???? Não são fãs???? Imperdoável!!!”
A reportagem falava da Dupla Sertaneja Fernando & Sorocaba.
Em dado momento falou que a dupla já havia mudado de formação quatro vezes. 
Como assim? 
Assim... agora quem está com o Sorocaba é quarto “Fernando” que toca com ele. 
O “Sorocaba” é dono da "marca/logo", entende?
“Fernando & Sorocaba” é uma marca registrada, não exatamente o nome de quem está no palco cantando, e quando sai um, entra outro que assume o nome de Fernando.
Até aí, nada de estranho para mim, pois estou acostumado mesmo no mundo do rock, a ver as bandas trocarem seus componentes!
Certas trocas são explosivas no meio, altamente controversas como mudar de vocalista. 
Exemplos: Iron Maiden (abaixo com os vocalistas Blaze Bayley e depois com Bruce Dickinson), AC/DC, Van Halen, Genesis, Yes e mais um monte de exemplos, onde uma parte de fãs preferem o primeiro (ou vocalista original) e outros fãs como conheceram a banda com o vocalista substituto, gostam mais do novo! 
E a discussão é simplesmente interminável!


Todos tem razão! E todos não têm razão!
Temos por exemplo a banda Kiss, que se vestem como personagens... então quem entra, assume o lugar de um personagem anterior!
Então porque achei estranha a reportagem da dupla sertaneja Fernando & Sorocaba ??
Estranhei porque a reportagem foi na entrada de um show deles, perguntava se as pessoas eram fãs. 
Aí logicamente todas falavam: “Sim, somos fãs! Ferrenhos! Fãs apaixonados!"(homens e mulheres responderam a reportagem!).
Aí a repórter perguntava: Você sabia que esse hoje é o 
“quarto Fernando” que canta com o Sorocaba????
E todos os entrevistados, 100% fizeram aquela cara de: “Hãããããã? Como assim??? Gente, não sabia disso!!!”
Claro que deve ter gente, fã deles que sabe! Óbvio!
Mas isso me chamou a atenção! 
Na reportagem, ninguém sabia...na porta do show!


E eu vendo essa reportagem, qual foi minha reação: Hãããããããããã?!?!?!!? 
Como assim não sabiam disso? Não são fãs???
Desmerecendo o amor deles pela dupla, não os considerando fãs...rs.
Fato é que ser fã chega a ser folclórico!

Tanto é que há fãs que assumem a personalidade (ou como eles dizem: se identificam com o personagem, com o ídolo!) do objeto de idolatria. Seja ao menos usando roupas iguais, corte de cabelo, bigode, óculos...qualquer acessório que o identifique como fã (camiseta da banda é item obrigatório em shows! RS).


Na verdade, fã é um sujeito, que de preferência, não devemos contrariar...rs.
A menos que o conheça profundamente, e você saiba qual a profundidade do fanatismo dele, se admite conversa ou não!
Mas fato é que o fã deve guardar esse amor para ele e para os da mesma espécie que ele!


Se começar a ser radical a ponto de discutir, brigar, e pior, houver violência física, seja qual o motivo do fanatismo (religioso, político, artístico, etc., etc.) isso já grave!
Grave demonstração de intolerância e violência! 
De preconceito também!
Às  vezes, até de racismo!
E isso, desabona, desmerece a palavra “fã”, sem dúvida!
Seja fã! Por que não?
Afinal aquilo te faz tão bem!
Mas se alguém não curte aquilo, ok! 
Viva a diferença!
Que seria do azul, se todos gostassem do vermelho?
Seja fã, mas não doente! Não radical!
Não patológico! Não esquizofrênico!

Seja sim um fã intenso...ame, curta, vá prestigiar, compre...seja feliz!
Mas que entenda que para ser feliz, não precisa fazer alguém infeliz!
E que também, não tem coisa mais chata, arrogante, invasiva de que querer “catequizar” alguém que não está a fim, que não está disposta!
Querer discutir com o cristão (católico, evangélico, etc.) porque você é espírita e acredita na vida após a morte, não lava a nada!
É intolerância!
Uma vez eu dei um berro na rua num Hare Krishna, porque ele me segurou o braço, me parando para querer ouvir o que ele tinha a dizer!
Não aceitei. Ele usou de força! E com força rechacei!
Pô! À força não!!!




Como disse, seja o assunto religião, política, time de futebol, convicções filosóficas, música, banda, cantor, ator, etc., etc ... viva e deixe viver!
A troca de informações só é sadia, se duas pessoas “se dispõem” a conversar livremente sobre o assunto e não irão brigar, se degladiar!
Tem pessoas que converso sobre futebol, e até tiro sarro dela. Mas tem pessoas que não faço isso! 
Respeito o fanatismo dela! Fanatismo no sentido de amor, paixão, ok? (claro que se tem uma pessoa que não aceita que eu brinque com ela, não aceito que brinque comigo...ah não!).
Seja fã!
Curta!
Seja feliz!
Mas não encha o saco dos outros com sua adoração!
Não faça aos outros, o que não aceite que façam com você!
Viva a verdadeira liberdade!
De ser ou não ser!

E você? É fã de algo?


- Mauricio Franchi - 

Dedico esse texto a todos os fãs que estiveram em contato comigo seja em shows, seja virtualmente!
Àqueles que choram, se emocionam com a música...e fazem de tudo para estar de alguma forma mais perto dos seus ídolos!
Àqueles que tem esse sentimento inexplicável no coração!
Porque ser fã, não é algo que se explique! Se vive!
E se sente!
E dedico especialmente à minha filha Mariana... que já tem bastante história comigo, sendo fã... muitas aventuras vivemos. Filha, sou seu fã!


segunda-feira, 8 de julho de 2013

"A gente só colhe o que semeia"



Sei que tem gente que não gosta dessa frase: "A gente só colhe o que semeia".
Mas é justamente para essas pessoas que estou escrevendo!
Essa frase não tem nada de errado, e aliás, é muito sábia!
Se você plantar jaca, não nascerá kiwi!
De forma alguma! Impossível!


 Mas como aproveitar essa frase para nós? Essa é a questão que muitas pessoas não entendem, e acabam não entendendo o sentido, e por isso não gostando!
Tentarei ser direto!
Atribuem a um grande Mestre que esteve no planeta, talvez o maior de todos entre nós, o Mestre Jesus Cristo, falando sobre as Escrituras Sagradas, a seguinte frase:
"Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes. Marcos 12:30-31


 
Entendo que a maioria que sofre, entende de forma errada a frase acima!
"Amar ao próximo, como a ti mesmo!"
Mas, você se ama? De verdade?
Se respeita? Se perdoa?
Tem uma auto estima alta?
Ou deixa isso para os outros fornecerem a você???
Aí que está o erro fatal!
Se você não se ama, como amar? E como merecer receber amor de volta?
Se você não se respeita, como respeitar? E como merecer respeito de volta?
E por aí vai...

Então plante, semeie em seu coração primeiramente o amor, o perdão, o respeito próprio, a felicidade, que aí sim, resultará em colheita proveitosa!


Aí sim receberá de volta esse amor, esse carinho, esse respeito!
Mas lembre, tem que vir de dentro, para fora!
Não de fora para dentro!
Tem que plantar kiwi, para nascer kiwi.
Tem que se amar, para ser amado!
Lembre-se: "Amar ao próximo, como a si mesmo"; e não amar o próximo, para ver se ele me ama também!
Até por que, se você se ama, se respeita, se amar alguém como se ama, e essa pessoa não fazer por merecer esse amor, justamente por essa segurança interna de se amar, de se perdoar, de ter auto estima, de se respeitar, ficará fácil dizer NÃO!
E tirar essa pessoa do caminho!
A gente passa a ter coragem de fazer isso, quando nos amamos!
Ah...mas vai ter pessoas que vão te chamar de "egoísta", "egóico", "egocêntrico"... mas isso é só manobra para te desestabilizar... porque na verdade egoísta é quem quer receber primeiro amor, para depois dar! Esse sim é egoísta!
E manipulador. Quer te dominar!
Não aceite!
Como?
Amando o próximo? Sim!
Como? Como a si mesmo!
Da forma que se ama!
Pois existe uma Lei inexorável aí: " A vida te trata como você se trata".
Pergunto a você que reclamava: "Será que semeia certo o amor na sua vida? No seu coração primeiro?"
Ou espera dos outros??

- Mauricio Franchi -



Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes.

Marcos 12:30-31

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Amor acaba?





Amor sem respeito, acaba!
Amor sem carinho, acaba.
Amor sem beijo na boca, acaba.
Amor sem sexo, acaba.
Amor sem parceria, acaba!
Amor sem química, acaba!
Amor sem comprometimento, acaba!
Amor sem paciência, acaba!
Amor sem admiração, acaba!
Amor sem novidade, acaba!
Amor sem abraço, acaba!
Amor sem tudo isso acima, acaba...acaba caindo na mesmice, na rotina!
 



Amor sem comunicação, acaba mesmo, porque se tornam pessoas diferentes, não conversam para renovar, retomar esse sentimento!
Se tornam estranhas debaixo do mesmo teto, na mesma cama!
Passam a ter objetivos de vida diferentes!
Porque passaram a ser diferentes!
Perderam os elos de ligação!



Aí quando percebemos que o amor se foi, nem reconhecemos mais a pessoa que estamos com ela!
Nem sabemos mais porque estamos com ela!
Nem lembramos mais, o que nos fez ficar com ela!
E aí então, não queremos mais ficar com ela!
E não entendemos o que aconteceu...
Não entendemos mais porque o perfeito, virou defeito!
Porque o amor, virou rancor!
Às vezes até negamos que tenha sido amor...
...porque só resta o torpor, o terror, o amargor, o bolor!
Nada mais resta a fazer, a não ser cada um se recompor...
Até quando passar a dor...
...e vier outro amor!

- Mauricio Franchi -


segunda-feira, 17 de junho de 2013

O que você vê???

Há pessoas que se posicionam dessa forma: " Só acredito no que eu vejo!".
Aí eu pergunto: "O que você vê? Qual o tamanho então do seu mundo?
Aí me pergunto: "Será que elas não acreditam no ar? Nas ondas de rádio, televisão, sonoras? No átomo? NO SOM??? Será que elas não acreditam que tem sangue dentro dela (a não ser elas derramem sangue?).
E tem gente que acredita que o mundo é o que ela vê na TV.
Pergunto: o que te mostram? O que te escondem?
Será mesmo que o mundo é o que se vê? Será?

"Certo dia, um príncipe indiano mandou chamar um grupo de cegos de nascença e os reuniu no pátio do palácio. Ao mesmo tempo, mandou trazer um elefante e o colocou diante do grupo. Em seguida, conduzindo-os pela mão, foi levando os cegos até o elefante para que o apalpassem.

Um apalpava a barriga, outro a cauda, outro a orelha, outro a tromba, outro uma das pernas. Quando todos os cegos tinham apalpado o paquiderme , o príncipe ordenou que cada um explicasse aos outros como era o elefante, então, o que tinha apalpado a barriga, disse que o elefante era como uma enorme panela. O que tinha apalpado a cauda até os pelos da extremidade discordou e disse que o elefante se parecia mais com uma vassoura. “Nada disso”, interrompeu o que tinha apalpado a orelha. “Se alguma coisa se parece é com um grande leque aberto”.

O que apalpara a tromba deu uma risada e interferiu: “Vocês estão por fora. O elefante tem a forma, as ondulações e a flexibilidade de uma mangueira de água…”. “Essa não”, replicou o que apalpara a perna, “ele é redondo como uma grande mangueira, mas não tem nada de ondulações nem de flexibilidade, é rígido como um poste…”. Os cegos se envolveram numa discussão sem fim, cada um querendo provar que os outros estavam errados, e que o certo era o que ele dizia. Evidentemente cada um se apoiava na sua própria experiência e não conseguia entender como os demais podiam afirmar o que afirmavam.

O príncipe deixou-os falar para ver se chegavam a um acordo, mas quando percebeu que eram incapazes de aceitar que os outros podiam ter tido outras experiências, ordenou que se calassem.
- De uma certa forma, vocês estão todos certos. O elefante é tudo isso que vocês falaram, explicou.
- E de uma certa forma, vocês estão TODOS errados. Pois "Tudo isso que cada um de vocês percebeu é só uma parte do elefante. Não devem negar o que os outros perceberam. Deveriam juntar as experiências de todos e tentar imaginar como a parte que cada um apalpou se une com as outras para formar esse todo que é o elefante.” (fábula Indu antiga e muito conhecida)



 

_______________________________________________

Pergunto então novamente... o que você vê? Essa é a verdade?
Ou parte dela?
Analisar certos assuntos práticos sem experiência, sem a vivência é perigoso! Pois pode não se ter toda a verdade! Analisar certos assuntos operacionais somente detrás da escrivaninha, analisar o mundo somente atrás da tela do computador pode sim trazer conhecimento, mas NUNCA o entendimento da vivência, da experiência!
Portanto, esse conhecimento não é completo, não é toda a verdade!
E acreditar que esse conhecimento sem vivência por si só basta é tão leviano quanto uma pessoa que não sabe nadar e que lê um livro de como aprender a nadar em 10 lições e se joga numa piscina funda!


- Mauricio Franchi -

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Sol Nascente




Eis que surge, nascendo no leste
Um ente superior, um corpo celeste.
Que nos brinda a visão, e com sua luz nos inunda
E seu calor inerente, dá aconchego e paz profunda.

Um sentimento recorrente, a vida renovando
Sensações inerentes, nossa alma vão tomando
Fé, coragem e força como sentimento
Esperança, certeza e renascimento



Renascimento
O sentimento
E na esperança
A mente alcança

Traz o “Pai Sol” de presente à “Mãe Terra”
A fecundidade que nela se encerra
A necessidade da vida fluir
A possibilidade dela existir

Saúdam todos os reinos, desde o mineral
Saúdam até o vegetal e o aninal
Pois é símbolo de luz e fartura desejada
E da colheita e prosperidade esperada.



Mas para nós animais emocionais
O Sol representa muito mais
É a vida no seu ciclo se movendo
Transformando e acontecendo.

E o sol vem nos iluminar
Nos tirar da escuridão
Nossa mente influenciar
Com uma nova conexão



Luz sempre significa
Para toda Humanidade
Que a ignorância ali fica
Na total obscuridade

Então venha Astro Rei
Com sua luz nos ilumina
A ti homenagens farei
Mesmo sendo eu uma chama pequenina!




Mauricio Franchi

Observação: Poema totalmente inspirado em Akhenaton (cujo nome inicial foi Amen-hotep IV, ou na versão helenizada, Amenófis IV) e foi um grande faraó da XVIII Dinastia Egípcia.
A Historiografia credita a esta personalidade a instituição de uma religião monoteísta entre os egípcios.
Akhenaton instituiu o Deus Aton como a única divindade a ser cultuada, sendo o faraó o representante e mediador dessa divindade!
O Deus Aton era representado pelo "disco solar".
As análises de DNA de múmias egípcias confirmam Akhenatom como filho de Amen-hotep III e também pai de Tut-ankh- amon (Tutankamon), outro importante e muito conhecido faraó do Egito.
De Amen-hotep passou a se chamar Akhenaton que significaria "o espírito atuante de Aton" (entre outros significados).
Abaixo uma figura de Akhenaton e Aton, representado pelo "Disco Solar".
Akhenaton deixou escrito poemas em homenagem ao sol, a Aton.